Imaginem o seguinte cenário.

Nos dias de hoje, podemos inferir sem medo de errar, que praticamente 90% da população economicamente ativa possui um smartphone com um acesso mínimo a internet, seja por redes 3G/4G, wifi de casa, de escolas, ônibus, shopping,  dentre outros tipos de acessos.

Por outro lado, este mesmo consumidor, vive dentro de um espaço geograficamente limitado, como o bairro onde mora, estuda ou trabalha.

Já os estabelecimentos de comércio de produtos e serviços estão exatamente onde os clientes estão, isto é, nos mesmos bairros ou nas redondezas e normalmente tem o mesmo padrão do bairro onde está inserido.  Então, por que eles nem sempre consegue atingir esses clientes e melhorar seus resultados financeiros? Me parece que clientes não faltam.

Segundo pesquisa recente do Sebrae-SP (Janeiro de 2018) foi constatado uma grande lacuna não utilizada pela maioria das micros e pequenas empresas que é o uso da web para gerar mais demanda para seus negócios e estabelecimentos.

A internet é usada por apenas 34,2% das micro e pequenas empresas (MPEs) para divulgarem seus produtos e serviços, para os seus clientes ou consumidores.

A pesquisa revelou ainda que de acordo com o levantamento, pouco mais de 34% de empresários usam as redes sociais, como Facebook e WhatsApp, representando 21,9% das MPEs , 14,4% tem o site como opção e 8,8% escolhem outros sites.

O mais incrível foi constatar que o principal  meio de divulgação do negócio é a tradicional indicação boca a boca, com as respostas de 31,1% dos donos de MPEs.

Outros meios utilizados são panfletos, 5,5%, e anúncios em jornais e revistas, opção de apenas 4,1% das MPEs. Anúncios em rádio e televisão foram citados por 2,3% dos empreendedores.

Também chama muito a atenção o fato de 22,3% das empresas não terem nenhuma divulgação de seus produtos e serviços.

A pesquisa do Sebrae-SP revelou ainda que 47,5% das MPEs têm cadastro de clientes e, entre estas, 77,2% afirmam que esses registros são atualizados com frequência, mas outras 21,4% não atualizam o cadastro com constância.

Em contrapartida, 43,1% das MPEs não têm cadastro da clientela, o que, como consequência, pode prejudicar, de alguma forma, o uso da internet para alcançar o consumidor e divulgar o negócio.

 

Foi pensando na melhoria da qualidade de vida das cidades, bairros e até comunidades que criamos o conceito de Rede de Comércio Virtual.

Através da Plataforma de Serviços Localcard é possível criar e gerenciar uma Rede de Comércio Virtual local, onde ajudamos tanto os estabelecimentos comerciais a melhorarem seus resultados financeiros, como os clientes e consumidores a economizarem tempo e dinheiro, além de divulgar as entidades jurídicas de cunho social, industrial e comercial que fazem parte e tem grande peso na harmonia das comunidades, bairros e até cidades.

Com a Rede de Comércio Virtual Localcard você e toda a comunidade vão sentir a diferença.

Faça parte dessa Rede!

Fonte:  Por Agência Sebrae 16 de Janeiro de 2018 às 10:11

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Fechar